O Ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a falar sobre o valor do novo Bolsa Família. O programa, que vai passar a se chamar Auxílio Brasil a partir de novembro, ainda não tem uma média de pagamentos definida. Nem a Medida Provisória (MP) que está no Congresso Nacional trouxe essa informação ainda.

De acordo com o Ministro, seja qual for o valor do programa, ele não vai ser suficiente para quebrar o teto de gastos públicos. Ele disse que o projeto em questão vai ficar dentro desse limite. Essa é uma informação importante porque indica que os pagamentos não terão montantes muito mais altos do que se vê agora com o Auxílio Emergencial.

Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família paga uma média de R$ 189 por mês. O Auxílio Emergencial não trabalha com médias, mas com valores definidos. São três: R$ 150, R$ 250 e R$ 375. Esses patamares variam de pessoa para pessoa. Pela fala de Guedes, os montantes do Auxílio Brasil não devem ser muito diferentes disso.

“É uma leitura de que, se vier o Lula, fura-se o teto. E de que o Bolsonaro, para bater o Lula, levará o Bolsa Família a R$ 500 ou R$ 600. Não é isso que estamos fazendo”, disse o Ministro em uma provável tentativa de acalmar o mercado que teme que os valores do novo programa acabem sendo muito altos.

Sem citar o nome de Bolsonaro, Guedes disse que alguns atores políticos acabam fazendo algum barulho. “É um efeito colateral da guerra política, da antecipação eleitoral. Isso leva alguns atores a cometerem excessos, mas logo vem outro e penteia o cabelo de todo mundo”, concluiu o Ministro da Economia.

Valores do novo Auxílio

O nível de patamar de pagamentos do novo Bolsa Família ainda é motivo de muita confusão dentro do Palácio do Planalto. Mesmo depois da entrega da MP do programa na Câmara dos Deputados, ainda não dá para saber quais serão os patamares.

Recentemente, o Presidente Jair Bolsonaro disse em duas entrevistas que o valor médio de pagamentos seria de R$ 300. No entanto, informações de bastidores dão conta de que o grupo político conhecido como Centrão está de olho em um aumento para a casa dos R$ 400.

O Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que isso não vai existir. Ele, que é um aliado do Presidente Jair Bolsonaro, garantiu que os valores do programa irão girar em torno dos R$ 300. Assim como Guedes, ele também disse que o montante não vai furar o teto de gastos.

Patamar de pagamentos

As falas de Guedes e de Arthur Lira podem ser complexas em um primeiro momento. No entanto, é possível simplificá-las. Tudo isso quer dizer que os valores do Auxílio Brasil não serão muito diferentes do que se paga atualmente nos programas atuais.

De acordo com o Ministério da Cidadaniao Auxílio Emergencial, por exemplo, paga parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375. Em tese, o novo Bolsa Família pagar menos do que esses patamares maiores do projeto que está em vigência agora.

De qualquer forma, nós estamos falando apenas a partir de falas. Oficialmente, o Governo Federal só deverá divulgar os valores do programa novo por volta do final do próximo mês de setembro.